Com epiciclos suficientes descrevemos qualquer órbita

Ptolomeu utilizava epiciclos e outros truques para poder descrever as órbitas panetárias de forma acurada. Com efeito, se o número de epiciclos for suficientemente grande, é possível conseguir descrever qualquer órbita com precisão tão grande quanto se deseje. Descobri o videozinho abaixo no site de Dennis Duke; mais especificamente, na página http://people.sc.fsu.edu/~dduke/models.htm. O videozinho é também uma boa diversão. Serve para ilustrar a ideia por trás de utilizar um número grande de epiciclos para descrever os intrincados detalhes orbitais reais.

Descobri também, lendo no final do vídeo, o link para o site de Santiago Ginnobili, onde tem uma postagem sobre: Deferentes, epiciclos y adaptaciones. Santiago Ginnobili e Christián Carlos Carman colaboraram em um artigo onde descrevem a órbita do vídeo.

Gostou desta postagem? Então clique no botão abaixo e siga o Nerdyard no Twitter! Toda vez que houver uma nova postagem aqui, você saberá imediatamente! :cool:

Siga Nerdyard no Twitter

Nerdyard

6 respostas para “Com epiciclos suficientes descrevemos qualquer órbita”

  1. Olá Brandão,
    Você só precisa entender que as 1000 “bolinhas” foram necessárias para descrever a órbita em forma de Homer Simpson. O ponto a ser feito com isso é que, tendo um número suficientemente grande de “bolinhas”, é possível desenhar praticamente qualquer órbita. O que é galinço?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *